Tenho muita dor de garganta: preciso fazer cirurgia para retirar as amígdalas?

Tenho muita dor de garganta: preciso fazer cirurgia para retirar as amígdalas?

Você tem dores de garganta muito frequentes, daquelas que não passam fácil mesmo com os remédios mais potentes? Pior, sofre com a apneia do sono, sente dificuldades para dormir ou mesmo engolir por isso? Possivelmente, trata-se de amigdalite, um problema bastante comum, mas que, a depender da frequência ou resistência aos medicamentos, indica novas terapias. Então, quando é preciso fazer cirurgia para retirar as amígdalas?

O que é a amigdalectomia?

A amigdalectomia é o que popularmente conhecemos como cirurgia para retirar as amígdalas. Neste caso, há tanto a retirada total ou parcial. Como vamos ver adiante, o procedimento é simples e rápido, não durando mais que uma hora.

E para que servem as amígdalas?

Agora que você já sabe o que é a cirurgia para retirar as amígdalas, é importante saber o que é e para que, exatamente, elas servem. De modo geral, as amígdalas, ou tonsilas palatinas, são aquelas “bolinhas” que ficam na região da faringe, logo atrás da garganta.

Como estão próximas à língua, até dá para vê-las usando um espelho. Ou, ainda, quando estão inflamadas, também é possível senti-las ao toque. Muita gente não sabe, mas as amígdalas são muito importantes para a saúde, sobretudo o sistema imunológico. Só para exemplificar, aqui estão alguns pontos nos quais elas são importantes:

- As amígdalas são especialistas na produção de anticorpos, proteínas essenciais para combater infecções

- Além da produção de anticorpos, as amígdalas também acionam os linfócitos, que são células de defesa do sistema imunológico e, assim, ajudam a combater infecções e manter o corpo saudável.

- As amígdalas trabalham em conjunto com as adenoides, glândulas localizadas na parte superior da garganta. Juntas, elas formam uma equipe de defesa poderosa.

No entanto, devido a esse constante trabalho de proteção, em algum momento, elas podem ficar comprometidas ou inflamadas Além disso, existem fatores que afetam seu funcionamento, por exemplo, doenças e uso de determinados medicamentos.

Consequentemente, as amígdalas incham e levam àquela dor que todo mundo conhece, a da amigdalite. Inclusive, há duas formas nas quais ela pode se apresentar. Primeiramente, a dor aguda e garganta vermelha, além de febre e dificuldade para engolir. Essa, geralmente, tem curta duração.

Por outro lado, a forma crônica dura mais tempo e, nela, a pessoa sente dor ao deglutir e, ainda, tem a presença de bolinhas brancas na garganta.

Quando preciso fazer a cirurgia para retirar as amígdalas?

Ué, mas então, se as amígdalas são importantes para a defesa do organismo, faz mal fazer a amigdalectomia, não? Tudo se relaciona à frequência ou mesmo resistência ao tratamento da amigdalite. Normalmente, o problema passa com o uso de antibióticos ou medicamentos que aliviam os sintomas, conforme a origem da inflamação.

Entretanto, estas terapias mais simples nem sempre funcionam. Ou, ainda, o problema é muito frequente e, às vezes, tem origem genéticas. Daí, leva a outras condições, como:

- apneia do sono

- mau hálito

- dificuldades para respirar

- problemas na alimentação ou fala

Tudo isso vem com o aumento das amígdalas, daí, a indicação para a amigdalectomia, claro, após análise e direcionamento do especialista. Neste sentido, o otorrinolaringologista avalia:

-  se a amigdalite crônica surge três vezes por ano, em três anos consecutivos

- ou, se há o diagnóstico de amigdalite por cinco vezes anuais, em dois anos consecutivos

- se a pessoa tem dificuldades para respirar pelo tamanho das amígdalas

- situações de apneia, ou seja, a pessoa para de respirar, várias vezes, enquanto dorme

Ademais, o otorrino pode recomendar a cirurgia em casos de sintomas muito intensos ou frequência alta da amigdalite aguda. Ainda, pela falta de eficácia dos tratamentos com medicação.

Como é o procedimento?

A princípio, a cirurgia para retirar as amígdalas é simples e tem duração máxima de 60 minutos, com aplicação de anestesia geral. Em muitos casos, na mesma intervenção, retira-se também as adenoides, pois esses tecidos ficam abaixo das amígdalas e apresentam inflamações frequentes. “Ah, então precisa abrir a garganta para fazer a cirurgia”?

Não, o procedimento é feito sem qualquer corte, mas apenas uma incisão na borda anterior da amígdala. Depois da cirurgia, o paciente fica internado por algumas horas, apenas para acompanhamento. No entanto, a depender da avaliação médica, pode-se recomendar a pernoite no hospital com o objetivo de evitar dores ou hemorragias.

Ah, e respondendo à pergunta do tópico anterior: não, retirar as amígdalas não vai afetar, em nada, o sistema imunológico. Isso se dá, sobretudo, pelo fato de que outros órgãos podem cuidar da defesa do organismo.

Posso morrer na cirurgia para retirar as amígdalas?

Recentemente, uma modelo faleceu em decorrência de complicações da cirurgia para retirada de amígdalas. Entretanto, quem precisar do procedimento pode se tranquilizar pois este tipo de ocorrência é muito rara. Contudo, assim como qualquer intervenção cirúrgica, existem complicações. Por exemplo:

- Sangramentos, vômitos e dor após a cirurgia

- Dificuldade para engolir, voz modificada e falta de ar pós-cirúrgicas

- Tosse ou náusea também estão entre alguns relatos

Por fim, há algum risco relacionado à aplicação da cirurgia. Mas, novamente, frisa-se que a cirurgia para retirar as amígdalas é seguro. De qualquer forma, o profissional otorrino dá todas as orientações sobre a intervenção.

Cuidados no pós-operatório de amigdalectomia

E depois da cirurgia, como são os cuidados? Geralmente, os pontos da cirurgia caem naturalmente em até uma semana após o procedimento. Mas, há algumas recomendações sobre o pós-cirúrgico, por exemplo:

- ingerir apenas alimentos frios, pastosos ou líquidos nos três primeiros dias. Por exemplo, caldos e sopas frias, sucos, vitaminas, iogurte e leite. Mas, por uma semana, a recomendação é não ingerir alimentos duros

- evitar falar muito também nos três primeiros dias

-  não tocar, espirrar, assoar o nariz ou coçar a garganta por duas semanas

De modo geral, o tempo de recuperação completa da cirurgia para retirar as amígdalas é de uma a duas semanas. Ok, é normal sentir dor nos três primeiros dias, mas se for muito intensa ou houver sangramento excessivo, vá ao médico imediatamente.

Sente dor de garganta frequentes que não passam nem com remédios? Consulte um de nossos especialistas, agendando sem sair de casa. Em caso de cirurgias, você conta com equipe especializada e a melhor estrutura para o seu procedimento.


Compartilhar:
Agendamento Online
Clique para Ligar
Fale por WhatsApp